Projeto Carbioma

Ciências Humanas

Objetivo

  1. Analisar a relação entre o processo de transformação, com suas dinâmicas socioeconômicas e as mudanças climáticas, visando propor alternativas de sistemas produtivos de baixo insumo e carbono.
  2. Produzir uma metodologia apropriada capaz de detectar pontos de entrada para intervenções políticas direcionadas à redução da emissão de GEE na Amazônia, mais especificamente, na zona de expansão agrícola na BR-163.

Objetivos específicos

  1. Produzir conhecimento sobre as estratégias socioeconômicas de atores sociais na região e gerar modelos que orientem a formulação de políticas públicas regionais, relacionadas à decisão de uso da terra, boas práticas agropecuárias e conservação dos recursos naturais;
  2. Relacionar as transformações sociais atuais aos efeitos da mudança climática e mostrar as estratégias de atores sociais e econômicos para redução e mitigação dos efeitos;
  3. Identificar o papel da agricultura e da pecuária para as mudanças climáticas e as possíveis tendências de uso da terra e manejo de recursos naturais, identificando seu papel na redução ou não da emissão de GEE;
  4. Identificar modelos de sucessão na terra e propor um desenvolvimento sustentável nas atividades agropecuárias de baixo insumo de carbono;
  5. Gerar recomendações para políticas públicas em escala regional considerando, por exemplo, pagamento por serviços ambientais e mudanças nos instrumentos de comando e controle e de regularização fundiária;
  6. Quantificar a produção agropecuária por área estudada e analisar as mudanças de uso do solo;
  7. Associar os resultados dos fluxos econômicos com a dinâmica temporal dos processos e fatores biofísicos do solo, estudados pela equipe de ciências naturais;
  8. Estudar como as mudanças no uso do solo alteram a organização social e econômica em diferentes estratos de estabelecimentos e atividades agropecuárias (pequenos, médios e grandes produtores);
  9. Identificar indicadores de mudança no padrão de desenvolvimento (indicadores econômicos, espaciais e de IDH);
  10. Contribuir com informações da socioeconomia para a construção de modelos de síntese, conjuntamente, pelas duas equipes do projeto, sobre as mudanças do uso do solo, seus efeitos sobre as mudanças climáticas e o balanço de carbono;
  11. Analisar os efeitos do crescimento da agropecuária sobre o espaço regional e o desenvolvimento regional para fins de indicar se correspondem a que níveis de desenvolvimento social, econômico, étnico, cultural e político, usando indicadores históricos, antropológicos, sociológicos e econômicos.

 

voltar página inicial